05/08/2017 Sem Comentários

Enchei de Água as Talhas

Enchei de Água as Talhas
Série “As expressões de Jesus”.
Por minha causa. A minha casa. Estarás comigo. Não chores. Mais que vencedor. Status de Cristão, mente de ímpio. Maior e menor. A cidade de Deus. Está consumado! Acalma-te, aquieta-te! Por que meu Deus?
A história humana começou com um casamento. Adão e Eva.
Jesus iniciou suas atividades públicas num casamento em Caná da Galileia.
A história deste velho mundo terminará com um casamento: Cristo e Sua igreja, quando Deus realizará as Bodas do Cordeiro.
Orar e ler a Palavra de Deus.
João 2:1-10, “Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galileia, achando-se ali a mãe de Jesus. Jesus também foi convidado, com os seus discípulos, para o casamento. Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm mais vinho. Mas Jesus lhe disse: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Então, ela falou aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser. Estavam ali seis talhas de pedra, que os judeus usavam para as purificações, e cada uma levava duas ou três metretas. Jesus lhes disse: Enchei de água as talhas. E eles as encheram totalmente.
Então, lhes determinou: Tirai agora e levai ao mestre-sala. Eles o fizeram. Tendo o mestre-sala provado a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a água), chamou o noivo e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora”.
Jesus não usou as vasilhas, os barris, onde antes estava o vinho. Usou as talhas. Não misturou as coisas.
Elas não eram usadas em festas, mas numa cerimônia.
Deus pode usar aquilo que nós não imaginamos.
Eram de pedra, representam a Rocha que é Cristo. A rocha era Cristo. 1 Coríntios 10:4.
A água é símbolo de vida, alegria e salvação. “Quem quiser receba de graça da água da vida”, Apocalipse 22:17.
O que aconteceu? A água foi transformada em vinho. Símbolo de alegria. A vida é alegria, basta lembrar da alegria quando nasce uma criança.
As talhas deveriam estar completamente cheias.
Medidas: entre 80 e 120 litros cada. 2 ou 3 metretas, ou almudes ou cântaros x 40 litros, (38,88 Litros). Seis talhas cheias = 720 litros de água.
O mestre-sala: pessoa responsável pela organização da festa.
Era no mínimo incompetente para não dizer irresponsável.
Calculou mal a bebida.
Deveria estar nos bastidores e não no salão nobre conversando com os convidados.
Nem ficou sabendo que faltou vinho.
Mas Maria, a mãe de Jesus provavelmente parente da noiva ou do noivo, estava atenta.
Jesus não foi convidado por ser famoso, pois Ele ainda não havia se manifestado como o Filho de Deus.
Maria procura o filho, que sabia ser divino, e diz: o vinho acabou.
A resposta de Jesus não deixa qualquer margem para a MARIOLATRIA.
Mesmo assim, Maria ordenou aos serventes que deveriam fazer tudo que Jesus dissesse.
Quero valorizar aqui a fé demonstrada por Maria. Ela sabia que Jesus poderia resolver os problemas do casamento.
O que será que pensavam os servos enquanto carregavam a água? Muitas vezes nós carregamos a água, mas não sabemos o que o Senhor fará com ela.
Eu disse que água é vida, é alegria, é salvação, lembram?
Observem agora os serventes tirando vinho das talhas e não água. Ou então tirando água e ao derramar no copo não é água, é vinho.
O primeiro a provar é o mestre-sala. A fragrância que invade a sala do banquete, o aroma, a cor e o sabor são irresistíveis.
O mestre-sala conclui que o último vinho era melhor que o primeiro, esquecendo-se que ele mesmo, como responsável pela festa, comprara o primeiro vinho.
O vinho de Deus é puro, não alcoólico, é alegria, paz, refrigério, traz saúde e não enfermidade.
Apenas para conhecimento da cultura daquele tempo.
Era costume servir o vinho novo, mais caro, para começar. O tipo mais barato, diluído em água, ou aquecido, era servido depois que os convidados já haviam bebido bastante.
O vinho melhor no final ensina-nos o seguinte:
Deus tem coisas melhores para o nosso casamento. Nossa vida não precisa ser como um barril que se esvaziou. Deus deseja que sejamos como talhas cheias de água transformada no vinho do Senhor.
Dizem os mal amados que o casamento é como a Avenida Paulista, que começa no Paraíso e termina na Consolação.
Ou ainda dizem que o casamento é um relacionamento que passa da botânica para a zoologia: no começo é minha flor, meu jardim, meu príncipe. Depois vira: “seu cavalo”, “sua burra”.
Não podemos deixar que a uva se transforme em abacaxi.
Deus nunca vai fazer a parte que nos compete fazer. No caso de Lázaro Jesus mandou que tirassem a pedra. No casamento em Caná, Jesus mandou que os servos enchessem as talhas.
Encher as talhas é nossa missão, se quisermos que Deus realize um milagre em nosso casamento.
O que significam as 6 talhas de pedra, cheias de água?
Seis talhas/seis qualidades:
1a. Talha: Amor.
A Bíblia ensina que o amor cobre uma multidão de defeitos, 1 Pedro 4:8. Crie o hábito dizer eu te amo, ao cônjuge várias vezes ao dia.
Encher a talha do amor significa amar completamente, efusivamente, ardentemente, tempestivamente.
2a. Talha: Bondade.
Tratar com bondade em todo o tempo desfaz qualquer pé de guerra. Palavras amáveis e gestos carinhosos fazem muito bem.
3a. Talha: Compreensão.
Sempre haverá algo onde um deve ceder um dia, outro deve ceder outro dia.
4a. Talha: Comunicação.
A falta de comunicação cria feridas que algum dia vão sangrar. A melhor maneira de o cônjuge saber o que seu parceiro, sua parceira está pensando, desejando, é através da comunicação.
5a. Talha: Fé.
Nunca desistir de acreditar na pessoa que escolhemos para compartilhar a vida e a eternidade. Os heróis de Deus venceram enormes obstáculos pela fé.
6a. Talha: Perdão.
Símbolo da liberdade. Perdoar é oferecer liberdade vivendo a liberdade. O perdão deve ser mútuo e deve refletir o perdão de Deus, que em Cristo nos perdoou, Colossenses 3:13.
O número 6 é do homem.
Criado no sexto dia.
O sétimo é pra Cristo.
Encher as talhas é nossa parte se desejamos um milagre.
Para que tudo isso aconteça e tenhamos nossas talhas cheias, precisamos permitir que a Luz de Jesus inunde nosso casamento, tornando-nos um farol.
Música: A Berê do Rolf canta O FAROL.
Oração.

Pastor Stina
Pastor Sênior da Igreja do UNASP-SP
05/08/2017

Deixe um Comentário